05/10/2013

Aventura no Peru - parte 2

Viagem ao Peru de avião e carro em 8 dias – segunda parte – Abra Málaga, Puno, Lago Titicaca, Uros.

Essa é a segunda parte do relato de nossa grande viagem ao Peru, confira também a primeira e a terceira parte:
Aventura no Peru – parte 1
Aventura no Peru – parte 3

Dia 14/09/13 – sábado 
Havia programado subir pela estrada de Abra Málaga no primeiro dia, mas como estávamos cansados e com sono deixamos para o terceiro.

Estrada de Abra Málaga - Peru
Estrada de Abra Málaga - Peru
Esta fantástica rodovia liga Ollamtaytambo a Quilabamba e passa pelo Passo Málaga, atingindo 4330 metros de altitude, com curvas fechadas, cabanas de pedras dos nativos, vistas dos nevados, presença constante de lhamas, alpacas e paisagens fantásticas.

Lhamas na estrada de Abra Málaga - Peru
Lhamas na estrada de Abra Málaga - Peru
No início sentimos os efeitos da altitude e das curvas, mas fomos chupando balas de coca e foi melhorando. Foram muitas paradas para fotos e após 43 km de subidas, chegamos ao ponto mais alto, a 4330 metros.

Abra Málaga - Peru
Abra Málaga - Peru
Voltamos até Ollamtaytambo e seguimos viagem rumo a Puno, passando por Urubamba, Pisac e próximos a San Salvador, nos deparamos com um congestionamento estranho, com filas de ônibus em cima do asfalto e filas de carros estacionados no outro lado. Vimos que alguns carros seguiam, mesmo na contramão e fomos seguindo, conforme possível, então vimos que se tratava da grande festa do Senhor de Huanca. O santuário se localiza 1 km para cima em uma estrada própria, mas a festa invade a rodovia, onde comerciantes levam de tudo para vender e o tumulto é grande. Os carros e vans que vem à festa são todos enfeitados com fitas adornos em amarelo. Demoramos um pouco, mas conseguimos sair daquela confusão.

Estrada de Abra Málaga - Peru
Estrada de Abra Málaga - Peru
Em Huarcapay, saímos na Ruta 3S que leva diretamente a Puno e logo à frente, na cidade de Urcos, já que a rodovia passa na praça central, paramos lá para almoçar, onde comemos truta com batatas, prato muito comum, nos restaurantes peruanos.

Ruínas de Raqchi - Peru
Ruínas de Raqchi - Peru
Seguimos viagem e a paisagem aos poucos vai mudando. Nossa próxima parada foi nas Ruínas de Raqchi, ao lado da rodovia. O local conta com uma bonita igreja de pedra e sua praça, onde peruanas caracterizadas vendem seus artesanatos, onde se acesso às enormes ruínas de um templo e seu povoado inteiro de pedra.

Abra la Raya - Peru
Abra la Raya - Peru
A próxima parada foi no ponto mais alto desta rodovia; Abra La Raya, que conta com um paradouro a 4338 metros de altitude, com vista para os picos nevados, onde as peruanas vendem seus artesanatos. Chegamos à cidade de Ayaviri e decidimos passar a noite no local. Seguimos até a praça central e ficamos em um hotel, ao lado da bonita igreja matriz. Havía muita movimentação na praça, achamos que era normal, por ser um sábado, mas a noite vimos que também se tratava de uma festa. Iniciou um desfile com pessoas fantasiadas, flautistas e uma banda. Esta noite foi difícil, onde sentimos bastante a altitude durante a noite, já que a cidade está a 3910 metros de altitude. As duas primeiras noites passamos em Ollamtaytambo, a 2800 metros.

Ayaviri - Peru
Ayaviri - Peru
Distância percorrida no dia = 400 km
Distância acumulada na viagem = 500 km

Dia 15/09/13 – domingo
Puno, nosso próximo destino estava a 140 km, mas sabia que tinha que passar pela tumultuada e grande cidade de Juliaca. Havía lido muitos relatos que diziam que o trânsito local era terrível, mas como era domingo achei que seria mais tranquilo. Ao chegar parecia que iríamos passar facilmente, começou com pistas duplicadas e largas, mas logo apareceu um trecho em obras, onde tinha que desviar pela contramão, então o tumulto começou. Para complicar havia uma grande feira e virou um caos. Em meio a feirantes e centenas de Tuk tuks, não sabia mais para onde ir. Fui seguindo por uma rua paralela no mesmo sentido da principal, até que consegui achar a saída.

Mirante doPuma - Peru
Mirante doPuma - Peru
Chegamos a Puno, próximos às 10:00 h da manhã e na entrada da cidade, na parte alta, subimos ao Mirante do Puma, de onde se tem uma panorâmica da cidade de Puno e do Lago Titicaca. Descemos para a parte baixa, até o ancoradouro do Lago Titicaca e pegamos o primeiro barco que faz um percurso de 6 km até chegar às ilhas flutuantes dos Uros.

Ilhas flutuantes dos Uros - Lago Ttitcaca - Peru
Ilhas flutuantes dos Uros - Lago Ttitcaca - Peru
São cerca de 100 ilhas artificiais flutuantes, feitas com Totora, onde vivem cerca de 2000 pessoas. A Totora é um tipo de junco nativo da Baía de Puno, no Lago Titicaca, que em uma época do ano solta sua raiz, parecida com um xaxim e que flutua. Com isso, os Uros amarram diversos blocos desta raiz, fomando suas ilhas, depois colocam uma grossa camada das palhas da Totora e com ela também fazem suas cabanas, artesanatos e até seus barcos.

Ilhas flutuantes dos Uros - Lago Ttitcaca - Peru
Ilhas flutuantes dos Uros - Lago Ttitcaca - Peru
Foi um dos passeios mais exóticos que já fiz. O barqueiro ancora em uma das ilhas e o responsável pela ilha dá toda uma explicação de tudo sobre as ilhas e de como vivem os Uros. Depois expõem seus artesanatos para venda enquanto ficamos à vontade para passear pela ilha. Após isso levam o grupo em seu barco de Totora e como era horário de almoço, nos deixaram em uma outra ilha, onde funcionam os restaurantes das ilhas, onde o prato principal, adivinhem...trutas, criadas e pescadas alí mesmo, no lago.

Ilhas flutuantes dos Uros - Lago Ttitcaca - Peru
Ilhas flutuantes dos Uros - Lago Ttitcaca - Peru
Voltamos a Puno e seguimos viagem rumo a Moquegua, destino incluído no roteiro, somente para passar pelo deserto, próximos à costa do Peru. O ponto mais alto deste trecho foi em Abra Ojelaca, a 4592 metros. A vegetação foi ficando cada vez mais rala, até que sumiu totalmente até que só restou areia, mesclando partes planas com montanhas, em vários tons.

Deserto próximo a Moquegua - Peru
Deserto próximo a Moquegua - Peru
Próximos ao destino enfrentamos muitas curvas, em uma descida que não terminava nunca, já que enfrentamos um desnível de mais de 3000 metros. Chegamos já era noite e quase ficamos sem gasolina, pois neste trecho não havia “grifos”, como são chamados os postos de abastecimento no Peru. A gasolina no Peru possui dois tipos de octanagem; Gasolina 84 e 90, e é medida em galões, não em litros. Cada galão equivale a cerca de 3,8 litros.
Passamos a noite no Hotel colonial de Moquegua, que fica ao lado do estádio de futebol, dá para assistir o jogo do segundo andar do hotel. Foi a noite mais bem dormida, talvez devido a altitude de 1410 metros, bem inferior às outras cidades.
Distância percorrida no dia = 380 km
Distância acumulada na viagem = 880 km

Acesse os links abaixo, leia o relato e veja os posts dos outros destinos desta aventura:
Aventura no Peru – parte 1 
Aventura no Peru – parte 2 
Aventura no Peru – parte 3 
Machu Pichu – como chegar 
Cusco 
Águas Calientes Chinchero  
Ollamtaytambo 
Salinas de Maras 
Pisac
Puno 
Arequipa
Cânion Colca  
Estrada de Abra Málaga 
Estrada entre Puno e Moquegua 
Estrada entre Moquegua e Arequipa  
Estrada entre Arequipa e Chivay  
Estrada entre Cusco e Puno 

Nenhum comentário: