No coração da Bahia está um dos mais belos cenários naturais do Brasil. A Chapada Diamantina é um dos destinos preferidos dos adeptos do trekking. São muitas grutas, cachoeiras, platôs, serras e vales com paisagens de encher os olhos a 400 km de Salvador.

Quem quiser visitar e conhecer a chapada deve em primeiro lugar estar preparado fisicamente. Existe uma grande variedade de trilhas que podem ser feitas, com e sem guia. Uma das melhores é a do Vale do Patí, com duração de 5 dias. A sua beleza cênica é comparada às trilhas mais belas do mundo.

Vista do alto do Morro do Pai Inácio - Chapada Diamantina
Vista do alto do Morro do Pai Inácio

Mas para conhecer as principais atrações, 2 dias são suficientes. Algumas das principais atrações são alcançadas com uma pequena caminhada, como o Morro do Pai Inácio, mas outras são distantes, como a Cachoeira da Fumaça, com trilha de 6 km, 1,5 de subida, só de ida.

BR 242 - Chapada Diamantina - BA
BR 242 – Chegando na Chapada Diamantina – Bahia

A Chapada é enorme e as atrações espalhadas entre as cidades erguidas na época da extração de diamante. Entre elas: Lençóis, Palmeiras, Iraquara, Igatú, Andaraí, Mucugê e Caeté-Açú.
A mais estruturada é bem conservada é Lençóis, mas alguns passeios são distantes e convém pernoitar também nas outras cidades e povoados. O ideal é estar de carro ou contratar as Vans das agências

Pontos turísticos que visitamos na Chapada Diamantina

Morro do Pai Inácio

Vista do alto do Morro do Pai Inácio - sentido BR 242
Vista do alto do Morro do Pai Inácio – sentido BR 242

O Morro do Pai Inácio é o cartão postal da Chapada Diamantina, possui 1.120m de altitude e pertence ao município de Palmeiras. A trilha para chegar ao seu topo é leve e o acesso é fácil e rápido, ficando na margem da BR-242, a 27 Km do município de Palmeiras e a 26 km de Lençóis.

Atualmente ele é monitorado pelo GAP (Grupo Ambientalista de Palmeiras). A vista do alto do platô, é de 360 graus. Para todos os lados a vista é espetacular. Mas a vista sentido Morro do Camelo é o principal cartão postal da Chapada.

Morro do Camelo

Lembra a silhueta de um camelo. Fica a 4 km do Morro do Pai Inácio e possui 1.050m de altitude.

Morrão

Vale do Capão, visto da trilha da Cachoeira da Fumaça
Vale do Capão, visto da trilha da Cachoeira da Fumaça

Com seus 1.418m de altitude, fica isolado em meio a uma campina. O acesso mais fácil é pela estrada Palmeiras-Capão. Ele pode ser visto de outro ângulo na trilha da Cachoeira da Fumaça, no Vale do Capão.

Vale do Capão

Além de dar acesso a importantes pontos turísticos, como o Vale do Pati, a Cachoeira da Fumaça, o Morrão e a Cachoeira do Riachinho; o Vale do Capão, no município de Palmeiras, é uma atração por si só. Incrustado no Parque Nacional da Chapada Diamantina e cercado por serras, o Capão é mais do que um santuário ecológico: é um lugar fascinante. O principal povoado é Caeté- Açu.

Cidade de Lençóis

Cidade de Lençóis - Bahia
Cidade de Lençóis – Bahia

Construída nos tempos áureos do garimpo na região, numa época de muita riqueza, Lençóis era conhecida como a Capital do Diamante. Tombada pelo Patrimônio Histórico Nacional desde 1973, a cidade preserva o casario colonial do final do século XIX. Com o término da mineração e a criação do Parque Nacional da Chapada Diamantina, o turismo tornou-se uma nova fonte de desenvolvimento para a região.

Principal destino da Chapada Diamantina, Lençóis dispõe de infra-estrutura com capacidade para atender turistas de todas as partes do mundo. Possui aeroporto a 20 km da sede, dois mil leitos oficiais de variados tipos de hospedagem, agências e guias, culinária regional, nacional e internacional, internet e todos os sinais de celular.
Para conhecer as atrações, agências de turismo organizam caminhadas pelas trilhas que cortam o parque e passeios fretados para os locais mais distantes.

Cachoeira da Fumaça

Cachoeira da Fumaça - Chapada Diamantina
Cachoeira da Fumaça, com pouca água

Com 380 metros de queda livre, ela é a segunda mais alta do Brasil. Em época de estiagem, de maio a setembro, ela fica com pouca água e o vento leva de volta as gotinhas formando a famosa “Fumaça”.
Aproveite a vista nos 2 lados. Para ver a Fumaça por cima, a trilha é de 6 km, que começa próximo a vila de Caeté-Açú e os primeiros 1500 metros são de forte subida com a vista do Morrão à esquerda e o Vale do Capão à direita, o resto do trajeto é plano.

Paredões ao lado da Cachoeira da fumaça
Paredões ao lado da Cachoeira da fumaça

A partir da cidade de Palmeiras são 20 km de terra até o inicio da trilha, que por si só vale a caminhada. É bem batida e não tem como ser perder.
Para vê-la por baixo, só mesmo fazendo um trekking de 3 dias.

Grutas e cavernas da Chapada Diamantina

O subsolo da Chapada é tão fascinante quanto a superfície. As cavernas de Iraquara, perto de Palmeiras, constituem uma das maiores redes subterrâneas do Brasil. As mais visitadas são a Torrinha, a Lapa Doce, o Buraco do Cão e a Pratinha.

Caverna Torrinha

Foi descoberta há poucos anos. Três roteiros são oferecidos ao visitante, da simples visita (roteiro 1 ) a uma descoberta completa (roteiro 3 de três horas). Esta caverna apresenta curiosidades geológicas como agulhas de Gypsita de 60 centímetros de comprimento, flores de Aragonita de tamanho inusitado e outras maravilhas que os guias locais sabem muito bem apresentar.

Gruta Lapa Doce

Entrada da Gruta Lapa Doce
Entrada da Gruta Lapa Doce

É a segunda maior do Brasil, com 40 km de galerias, já mapeados, fica em uma fazenda particular. Caminhada de 1 km por dentro da caverna. A entrada e a saída são em pontos distintos. Todo o percurso é feito por enormes galerias com o acompanhamento de um guia, que é contratado no local. O acesso é pela rodovia que vai para Iraquara, depois se pega mais uns 2 km de terra até a fazenda.

Gruta Azul, Gruta da Pratinha e Fazenda da Pratinha

Entrada da Gruta Pratinha - Chapada Diamantina
Entrada da Gruta Pratinha

Situada, também em uma fazenda particular que abriga estas 3 atrações. Fica à uns 8 km da Lapa Doce, atravessando a rodovia e continuando na mesma estrada.

A Gruta Azul é alcançada com uma caminhada curta. Entre 14:00 e 15:30, os raios do sol proporcionam um belo espetáculo ao tocar na água e deixá-la incrivelmente azul e transparente.
Na Gruta Pratinha, do outro lado da fazenda, mas também próxima e com águas cristalinas, é possível fazer flutuação para observação de peixes e exploração, mergulho e tirolesa. O lago antes da gruta é o balneário da fazenda. A água é muito transparente e convidativa no clima árido da chapada.

Mais Viagens e Caminhos na Bahia

Relato da viagem à Bahia
Salvador
Praia do Forte
Morro de São Paulo
Mapas da Chapada

COMPARTILHAR
Jair Prandi
Editor, fotógrafo e videomaker, do Viagens e Caminhos. Apaixonado por viagens com toques de aventura, criou esse blog de viagens para compartilhar suas experiências.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here